Para a Lu.

Glorious decay

ap-gloriousdecay03

AP-GloriousDecay. Porto, 2013.

Espetáculos: Reféns, O Outro, A Metamorfose, Vou mudar a cozinha

Palavras chave: o monstro, o duplo, o corpo, as palavras, a ironia, o inconsciente coletivo e Pandora 

ap-metamorfose08

A metamorfose.

O abismo que existe em cada um de nós, a nossa pequena especificidade.

E que, na ausência do amor, nos afasta irremediavelmente do outro. De todos os outros.

A metamorfose é uma metáfora. Dessa ferida.
Ele diz, espelhada a sua monstruosidade nos olhos alheios, prostrado vermelho no chão: como posso eu ser um monstro, insensível, se ainda me emociona assim o som que sái do violino da minha irmã?
Nós somos a imagem que os outros nos devolvem de nós.
As famílias são uma das teias deste espelho/construção de nós e muitas vezes fazem construir-nos às avessas.
Ele, Gregor, vai-se construindo disforme na medida em que é diferente.
O processo de Gregor, ainda que pelo grotesco, é o da transformação de si.
Became who you where born to be.
A perca de ligação com o exterior, faz-se também pela incapacidade que se vai tornando total de comunicar.
As palavras que lentamente vão deixando de ser projetadas até ficarem exclusivamente no cérebro de Gregor.
E os atos desacompanhados da linguagem verbal, tornam-se opostos à vontade que os motiva, ativa.
E os corpos, rostos, ações tornam-se apenas invólucro, material, superfície.

  ap-silencio08  O Outro.

ap-ensaio19

Vou mudar a cozinha.

Unidos num mesmo momento, geracional, social, evolutivo.

Entre a exploração do mundo terrestre, a herança histórico-biológica do que foi e uma sensação etérea do que será, prospeção do universo mental global.

A esperança de Pandora projetada numa emoção-reflexo-geminóide.

Adultos que o não querem ser, que perpetuam o passado sem querer.

Que projetam nas relações sociais, amorosas, sexuais e virtuais uma ideia de proteção parental ad eternum.

Um tempo que não quer crescer, porque tem medo.

Medo porque tudo o que foi lentamente vai cessando de ter possibilidade de sobrevivência futura e o que vai ser ainda não é um modelo aprovado, comprovado, existindo ainda e só no mundo das ideias puras, sem certificação experimental.

E na loucura, do abismo e da esperança acreditamos que talvez seja possível tocar no mundo com o que sobra de nós.

 ap-metamorfose39  A metamorfose

ap-refens133

Reféns.

Advertisements

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s