ana pereira

Carnet du bonheur

In Uncategorized on October 12, 2014 at 6:18 am

Outubro 2014

AP-CBDói-me o ombro.

Penso na fotografia. Tenho pensado ultimamente nela.

Os encontros foram há pouco, na altura vi que o Virgílio tinha um workshop lá, da ideia à concretização ou qualquer coisa assim.

Tenho bastante consideração por ele, pelo trabalho e pela carreira, parecendo-me ser um outsider que consegue pela força do trabalho, um espaço.

Fiquei a pensar na validade, interesse neste nosso agora, desta forma de ensino.

Não vejo nenhuma, para além do income mensal e da criação de agenda para o festival.

Penso no flow diário digital de imagens, de pequenas histórias e pequenos statements.

AP-CB00Num episódio do Mentes Criminosas penso, por causa do MO do criminoso, no display quotidiano, dos quotidianos pessoais e no sentimento e pensamentos que advém das validações ou não, dos nossos pares.

Na pequena caminhada entre a creperie e o gelo, vejo um pequeno cartaz que anuncia um curso de documentário.

Fico com vontade de o fazer.

Penso e revejo todos os prós e os contra possíveis, imaginários e reais.

Mas tenho vontade e saudade, de muita informação condensada.

AP-CB01

Entro no metro que me leva ao autocarro.

Entra uma senhora que se senta ao meu lado, de frente.

Tem um corpo generoso, em particular o peito.

Tem uma cara feia. Bom, tem aquela cara típica das atletas.

É brasileira. Sei-o pela cor da pele e do cabelo.

Tem umas mãos e umas unhas muito bonitas.

Fico a olhar para ela.

Tira um caderno e um lápis com ponta de borracha.

Continuo a olhar.

Vê para a frente, volta atrás.

Começa a escrever com rapidez e determinação.

Mantenho o olhar. Gosto tanto de ver pessoas a escrever.

Gosto da forma como os dedos agarram o lápis.

Escreve pouco, pára.

Vejo que está perdida duas frases após o início decidido. Já não sabe o que escrever.

Perco o interesse.

AP-CB02

Carnet du bonheur

In Uncategorized on October 9, 2014 at 7:25 am

AP-auto

Um amigo escreve uma carta a um fotógrafo que admira.
Que lhe responde, em jeito de manifesto: fotógrafo em tempos de guerra ética.

O texto é duro, mas profundamente interessante e paradigmático deste momento presente.
O fotógrafo, escondendo a identidade do meu amigo publica a mesma nas redes sociais.
Um rodo de likes e comentários.
Na altura em que a Alexandra Lucas Coelho ganhou aquele prémio e escreveu aquele texto sobre o mesmo, percebi que tinha uma gang de admiradores.

O que se fosse transformado em leitores reais seria muito interessante.
Penso também no caso da granta Portugal.
Fiquei muito contente quando li que ia haver uma edição em português, depois de anos a ler as edições em inglês.
Mas rapidamente me pareceu também mais um caso de buzz. Nem sei como andarão as vendas.

Gostamos de gostar do que é gostado. Conhecido.
Como se fosse uma auto-validação de qualidade.

Amanhã estou de folga e quero descansar.
Tenho saudades de ir ao cinema.
Tenho saudades de estudar!!

Carnet du bonheur

In Uncategorized on October 4, 2014 at 8:40 pm

AP-CB00

Quando eu era criança usava o cabelo comprido com franja e tanto era rapaz como rapariga, entre vestidos e camisas militares.
Entre a minha mãe e o meu pai.

AP-CB01

Tenho uma submissão epidérmica que me acompanha sempre, mas a submissão consciente, essa é bem mais árdua.

AP-CB02

Recentrar-me.
Ou melhor,
centrar-me sem antes.
Apontar a intuição para a vontade de fazer coisas.
De aprender,
de partilhar.
Pelo prazer de o fazer.
E pensar no lado prático,
porque é preciso!

AP-CB03

Não conseguimos ver o que não reconhecemos.

AP-CB04

O resto e só vida humana.

AP-CB05

As pessoas gostam de histórias sobre o que não conseguem ver.

AP-CB07Is it?

Apontamentos soltos (palavras e imagens) no caderno digital móvel.

Lisboa, Porto e os quase-lugares entre ambos.

Follow

Get every new post delivered to your Inbox.

Join 28 other followers